Bem amigos do marketing digital, esse é meu primeiro texto para blog da firma, então vou contar sobre minhas primeiras dúvidas  trabalhando aqui. Elas eram: O que a Hariken faz? Para que serve uma DMP? Como trabalhar com algo que nunca ouvi falar? Como aplicar?

Simples né? Então, para mim não foi, mas talvez com esse artigo fique mais tranquilo para você.

A ideia de escrever para o blog  é sintetizar ainda mais meu conhecimento, porque quando eu explicava para os novos funcionários os conceitos que já havia aprendido, conseguia captar mais informação ainda. Então ontem a noite enquanto descia as escadas para levar o lixo para fora, fui pensando sobre como iria ser meu pontapé inicial no blog.

O que significa DMP?

Nós já temos um artigo no blog que fala o que é uma DMP e um vídeo que  explica o que a gente faz confira abaixo:

Minha intenção com esse post vai um pouco além, seria deixar essa informação um pouco mais na cara do gol.

DMP é uma abreviação para Data Management Platform aka Plataforma de Gestão de Dados.  Para explicar sua utilidade vou usar o sistema de separação de lixo como referência, talvez não seja o melhor exemplo, mas levar o lixo para fora foi a unica coisa que conseguir fazer ontem antes do jogo do meu time.

Então acompanhe comigo no replay, vamos imaginar como se separa o lixo dentro de uma casa. Em uma casa existem pelo menos dois lixos, o da cozinha e o do banheiro. Podem haver mais lixeiras como no quarto, escritório e etc.

Ao longo do tempo você vai acumulando lixo e os depositando em diferentes lugares. Chega uma hora que você tem que retirar esse lixo e separá-lo. O mais comum é separar o lixo entre orgânico e reciclável. O reciclável ainda pode ser separado pelo tipo de material, como: papel, metal, vidro, plástico e etc.

Mas qual a finalidade dessa separação?

A finalidade da separação do lixo é dar o destino correto a ele. O orgânico pode servir como adubo. O reciclável para insumos de produção entre outras coisas.

Agora o que tudo isso tem a ver com uma DMP? Calma que eu te explico, acompanha o raciocínio.

O funcionamento de uma DMP pode ser resumido em três etapas:

  • Armazenamento
  • Segmentação
  • Destino

Em um ambiente online as informações são armazenadas a todo momento podendo ser de diferentes fontes como: sites, aplicativos, CRM e etc.

Mas todo esse Big Data em si não quer dizer nada caso não haja uma “separação”, ou melhor dizendo, estruturação dessas informações. Para isso é necessário criar regras para segmentar esses dados e só aí chegamos no último passo, o destino.

Com as informações armazenadas e já segmentadas elas podem ser destinadas às pessoas certas no momento certo. Isso garante que seu marketing seja mais assertivo e menos lixo descartável.

Eu mesmo já cansei de receber propagandas sem contexto algum, o que me fez instalar bloqueadores de anúncios por muito tempo.

Talvez você se identifique comigo nesse ponto, acompanha nosso canal do Youtube que daremos voz a todos que tem essa frustração. Você não é inscrito ainda? Se inscreve aqui.

Agora vamos ver alguns exemplos de aplicação de uma DMP.

Exemplos de Aplicação de uma DMP.

Alguns dos nossos clientes ofertam em seu site diferentes tipos de produto e para cada um desses produtos o comportamento do público é diferente.

Faz sentido impactar todos com o mesmo tipo de mensagem?

Um desses clientes é uma seguradora que oferece soluções de previdência privada, seguros de vida, automóvel e celular. Será que as pessoas que buscam por seguros de celular são as mesmas que procuram por previdência privada?

Uma saída para isso é armazenar todos os tipos de dados que eles coletam, segmentar esses visitantes e então ativar essa audiência a uma campanha específica.

Ou seja, em uma campanha que tem por objetivo vender seguro de celular, utilizar a audiência que já demonstrou interesse por esse tipo de seguro parece mais efetivo.

Agora outro exemplo, utilizando Hariken na própria Hariken criamos segmentações baseadas no comportamento do usuário em nosso blog e site.

Quando o  usuário apenas deu uma olhadinha no site, ele entra em um segmento diferente da pessoa que visitou a página de planos.

A partir disso, conseguimos direcionar uma comunicação específica com mais informação para o “visitinha” e talvez um desconto para quem foi até “planos” e não converteu.

Isso impacta em diferentes métricas de uma estratégia digital, uma das que afeta diretamente é o ROI de uma campanha, ao invés de disparar um anúncio para um público diverso é melhor disparar esse mesmo anúncio para um público que já demonstrou algum nível de interesse. O resultado, voilà, um ROI maior.

Como trabalhar como uma DMP?

Obviamente ter um ROI maior é desejo de 11 entre 10 profissionais de Marketing. Mas será que esse seria o momento de usar uma DMP na sua estratégia?

E a clássica resposta que daria para essa pergunta seria: “Depende”.

No marketing existem diferentes variáveis a serem analisadas como:

  • Já estou produzindo conteúdo relevante para minha audiência?
  • Meu site comunica bem aquilo que faço?
  • Tenho uma verba disponível para minhas campanhas?
  • Tenho um acompanhamento das principais métricas de marketing?

Essas questões são legais de serem levadas em consideração para avaliar se esse é o momento ou não.

Temos outro artigo que levanta ainda mais questões com esse respeito para uma análise mais profunda.

De qualquer forma, espero que você que chegou até aqui tenha entendido melhor o que uma DMP se propõe a solucionar.

Beleza, talvez o lixo não tenha sido o melhor exemplo, mas pensa bem, sem separação o lixo acumulado realmente não tem muito valor, agora o reciclado pode ter diferentes utilidades.

Quer aprender mais sobre o universo de dados? Se inscreve na nossa Newsletter e me ajuda a garantir os 3 pontos na meta do marketing.

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Leonardo Fontana

Marketing e Camisa 10

Previous Ative toda a sua audiência com uma DMP
Next Data Layer: não faltam vantagens pra utilizá-lo!
Close

NEXT STORY

Close

Guia da mídia digital: tudo o que você precisa saber

04/12/2017
Close