Quem trabalha com marketing digital provavelmente já leu algum artigo ou ouviu alguma entrevista sobre a importância de capturar dados do seu público. Siglas como DSP, DMP, RTB, SSP passaram a se popularizar para quem trabalha com mídia digital.

Apesar dos termos estarem cada vez mais falados e que as plataformas de compra de anúncios automatizadas tenham conquistado boa parte da distribuição de anúncios online, anunciantes e agências ainda não entendem o poder que essas pequenas siglas têm para suas empresas.

Essa falta de entendimento, faz com que muitas empresas estejam correndo um grande risco, sem ao menos saber disso. Por enquanto é possível que elas não tenham se atentado, mas isso poderá colocá-las em risco, abrindo grandes oportunidades para seus concorrentes.

Como os dados da audiência online possuem um papel cada vez mais estratégico no desempenho das ações, as empresas que melhor compreenderam como a segmentação programática pode ser impulsionada, em pouco tempo deixarão seus concorrentes para trás.

O motivo disso acontecer é bastante simples e funciona desde os primeiros passos do marketing. Quanto mais uma empresa conhece seu cliente, mais poderá se relacionar com ele e quanto mais se relacionar, mais poderá vender.

O problema dos dados desatualizados

Até pouco tempo atrás, a principal fonte de dados sobre os hábitos e comportamentos dos consumidores eram as pesquisas de marketing ou os velhos e conhecidos focus groups. Utilizando pesquisas por amostragem, eram essas as informações e insights que anunciantes e agências utilizavam para desenvolver campanhas promocionais, novos produtos ou entender as preferências dos clientes.

Essas fontes de informação funcionaram (e ainda funcionam) muito bem, mas existe um grande problema: o tempo necessário para receber, processar e agir sobre as informações para que se tornem ações práticas. O processo é longo e demorado e muitas vezes quando a ação é tomada, os dados já estão ultrapassados.

Analisar dados de CRM também é uma boa maneira para entender a jornada do consumidor, suas preferências e interação com a empresa. O problema aqui também é o tempo necessário para reunir a gigantesca quantidade de informações, organizá-las, padronizar, tirar conclusões e criar ações a partir delas. Geralmente os dados de CRM funcionam mais como um registro histórico do que algo estratégico. 

Para os profissionais de marketing mais atuais e conectados com tecnologia, a principal fonte de dados do público são as ferramentas de Web Analytics e plataformas de anúncios digitais. Dentre as 3 fontes citadas (CRM, focus group, Web Analytics) , sem dúvidas, é a mais acionável.

As ferramentas de análise web fornecem uma visão muito boa sobre a jornada do cliente, quais paginais visitou, quais produtos possuem maior relevância, qual seu fluxo, etc. Já as plataformas de anúncios digitais permitem que os anunciantes vejam quais são os melhores canais, quais sites e parceiros trazem melhores resultados.

Não há dúvidas que são ferramentas importantes e indispensáveis para o marketing digital. Porém, existem problemas entre a conexão desses dados. Em muitos casos a ferramenta de análise fica com o anunciante e os dados de campanhas com a agência.

Com isso, os dados do público e audiência ficam divididos em diversas plataformas e fontes diferentes em plataformas contratadas pelas agências. Esse é um problema bastante sério, pois significa que os dados coletados não pertencem à empresa e não podem ser considerados um ativo.

 Por que contratar uma DMP resolve esse problema:

Até pouco atrás as Data Management Platform (DMPs), eram exclusividade de grandes agências e anunciantes. Hoje, anunciantes de todos os tamanhos estão percebendo a importância de serem donos de seus dados de audiência online e mobile. Sem uma boa coleta, organização e estratégia de dados é muito difícil criar campanhas que tragam bons resultados.

Uma DMP é uma plataforma de gerenciamento de dados capaz de coletar, segmentar, analisar e agregar valor aos dados, utilizando fontes de dados primários, secundários e terciários.

Quer saber mais a fundo o que é uma DMP? Confira esse artigo!

Essa tecnologia é capaz de reunir dados de visitantes do seu site, usuários de aplicativos, visitantes de sites parceiros, CRM, lista de e-mails e também dados de fontes externas como grandes portais de conteúdos, outras empresas e até mesmo dados off-line.

Com todos esses dados coletados, uma DMP é capaz de organizá-los, segmentar e criar audiências extremamente específicas e relevantes, trazendo informações valiosas sobre seus públicos e possibilitando criar campanhas incrivelmente assertivas.

 

Extensão da audiência

A extensão da audiência, também conhecido como lookalike, é um grande recurso disponível com o uso de dados e ainda pouco aproveitado pelos anunciantes.  Quando feito corretamente, o lookalike oferece uma grande oportunidade para aumentar seus públicos e segmentos mais lucrativos ao encontrar e impactar pessoas semelhantes a eles.

Usando uma boa DMP com a grande quantidade de dados disponíveis, sua DMP pode analisar milhares de segmentos com base em centenas de variáveis ​​para determinar quem é o seu cliente mais rentável.

 

Análise avançada

As ferramentas de análise web, como o Google Analytics são ótima para entender o comportamento de seus clientes enquanto estão em seu site, navegando por suas páginas e produtos. Porém, para entender quem é seu cliente e conhecer seu comportamento fora do seu site é muito mais desafiador.

Com uma DMP, sua empresa pode aprender e reunir milhões de dados sobre seus clientes e o que fazem quando não estão navegando em seu site, que é a maior parte do tempo.

Esse tipo de informação é fundamental para que você conheça seu público e consiga criar ações relevantes. Por exemplo: Com uma DMP você pode descobrir que pessoas que compram um produto X tem interesse em esportes, enquanto pessoas que compram o produto Y, gostam muito de cinema.

 

 

Escolhendo sua DMP

Existem muitas soluções DMP disponíveis no mercado, então qual escolher para sua organização?

Na verdade não existe uma receita específica para isso, pois todo cliente é diferente. Realizar uma avaliação precisa das necessidades da empresa e dos recursos oferecidos pela DMP.

 

Os principais pontos a serem observados devem ser:

  • A quantidade e qualidade de dados de fontes terceiras que a DMP possui, ou seja, os sites e aplicativos que provem dados para essa plataforma.
  • Quais recursos de segmentação a DMP proporciona. Existem DMPs com recursos simples e outras com segmentações de clientes extremamente avançadas. Procure uma que atenda suas necessidades.
  • Integração com plataformas de mídia programática, e-mail marketing, automação de marketing, etc. Muitas DMPs são limitadas em integrações e isso prejudica no uso dos dados para criar campanhas. Pouco adianta apenas segmentar e não conseguir ativar esses segmentos.
  • Verifique quais serviços e suporte a DMP oferece. Por ser uma tecnologia complexa, é bem provável que você precise de ajuda em algum momento. A questão de atendimento é importantíssima para sua escolha.

Não há dúvidas que uma DMP pode ser o grande diferencial da sua empresa para a concorrência. Em um mercado extremamente competitivo, entender seu consumidor e conseguir ativá-lo de forma assertiva é fundamental para otimizar o ROI, conquistar grandes resultados e construir o sucesso das empresas.

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Adonis Batista

CEO e Nômade

Previous Como aumentar as vendas com E-mail Marketing?
Next 23 estatísticas de redes sociais em 2017 que você precisa saber
Close

NEXT STORY

Close

Por que cada empresa deve ter sua estratégia de Big Data? Entenda!

21/01/2018
Close