empresa big data

Por que cada empresa deve ter sua estratégia de Big Data? Entenda!

Por si só, Big Data é apenas um conceito. Como profissional de Marketing, você certamente já ouviu falar nele, que foi até assunto aqui no blog. Em resumo, diz respeito à imensa quantidade de dados disponíveis em diversos ambientes, especialmente online, que podem alimentar uma base de informações. Mas como utilizar esse conceito na prática na sua estratégia de Big Data, principalmente no Marketing Digital?

Você precisa estabelecer quais dados, dentre tantos possíveis, vão ser utilizados em suas análises, quais são os objetivos de suas ações e os modos como vai mensurar os resultados, entre vários outros pontos que variam segundo a natureza de cada empresa.

Neste artigo, você vai entender por que cada negócio precisa ter a própria estratégia de Big Data, e por que planejá-la corretamente pode transformar o seu trabalho!

Qual é a importância do Big Data para a sua empresa?

De maneira geral, você deve entender que os dados a que tem acesso importam apenas a partir do momento em que você os ativa, ou seja, quando eles não estão simplesmente acumulados em uma base, mas efetivamente sendo utilizados para guiar suas ações e trabalhar verdadeiramente a serviço do Marketing por Dados.

Utilizar dados para obter resultados efetivos não é um fenômeno passageiro ou utilizado somente por uma parcela reduzida de profissionais. Prova disso é um relatório de 2016 realizado pela Economist Intelligence Unit com executivos do mundo todo.

A pesquisa aponta que 60% dos profissionais consideram que os dados realmente geram receita para a empresa, e 83% acreditam que os dados tornam os produtos e serviços oferecidos mais rentáveis.

Diante de números como esses, a empresa afirma o evidente: “a análise do Big Data, ou a extração de imensas bases de dados para identificar tendências e padrões, está rapidamente se tornando uma prática padrão de negócios”. Ou seja, se hoje ainda falamos em Big Data como algo relativamente novo, em breve será fundamental dominá-lo para sobreviver no mercado.

Por que cada empresa precisa da própria estratégia?

Você já entendeu que trabalhar com Big Data é essencial para o sucesso da sua estratégia. Mas não basta a vontade de utilizá-lo efetivamente, é necessário entender como ele se aplica à realidade particular da sua empresa.

Cada estratégia de Marketing tem especificidades. Para trazer resultados de verdade, o Big Data precisa ser utilizado com respeito a elas. O que funciona muito bem para determinado negócio pode ser um esforço completamente em vão para outro.

Considere uma empresa que vende celulares, por exemplo, e uma imobiliária. O ciclo de venda de celulares é relativamente curto, enquanto o ciclo de venda de um imóvel é longo, já que pode levar meses até uma pessoa estar pronta para adquirir uma casa.

O modo como os dados serão trabalhados pelas duas empresas, portanto, é diferente entre si. A que vende celulares provavelmente vai lidar com mais consumidores em menos tempo, e precisa analisar os dados sobre eles de forma a fortalecer ações de retargeting contínuas nas mídias sociais, por exemplo. Já a imobiliária necessita nutrir as leads por mais tempo para entender com maior precisão o que elas procuram em um imóvel.

Essas diferenças alteram até as ferramentas que serão mobilizadas na estratégia. Como precisa entender o consumidor a longo prazo, a imobiliária vai demandar com mais intensidade um trabalho com ferramentas de Business Intelligence, por exemplo.

Cada caso é um caso?

A moral da história é o velho chavão: “cada caso é um caso”. O Marketing Digital ruma para a personalização — cada cliente conta como um indivíduo único, e tem ações direcionadas especificamente para ele. Da mesma forma, a estratégia que a sua empresa adota e como o Big Data a alimenta é uma questão que precisa ser analisada levando em consideração a natureza do seu negócio.

Há exemplos marcantes sobre como os dados podem guiar de maneira extraordinária o entendimento sobre o consumidor e a estratégia de Marketing de cada empresa. A gigante do streaming Netflix, por exemplo, figura constantemente como um case de sucesso da análise de dados.

A concepção orientada por dados do sucesso House of Cards já é famosa, e apareceu em outro post do blog. Mas a Netflix vai além e se guia por dados até para escolher as cores que utiliza nos pôsteres dos filmes e séries que expõe para cada usuário.

Cada organização vai utilizar os dados de uma maneira. Em uma empresa que ofereça diversos serviços, como uma seguradora que se desdobre entre proteção para a casa, para automóveis e outros bens, por exemplo, o cruzamento e a articulação entre os dados dos consumidores de cada um desses serviços pode revelar oportunidades valiosas de upsell.

Em um e-commerce que trabalhe com diferentes segmentos, hábitos de compra aparentemente pequenos podem indicar padrões e relações inesperadas que são uma mina de ouro do conhecimento sobre o cliente.

É o que aponta a publicação Marketing Week, que atesta associações curiosas entre hábitos de compra, como: pessoas que compram uma motocicleta, por exemplo, têm mais chances de ler sobre divórcio, e quem compra mobília para bebês tem 15 vezes mais chance de comprar uma câmera digital nas próximas seis semanas.

Análises refinadas como essas não fazem sentido para qualquer negócio, é claro. Em alguns casos, ações muito simples podem fazer uma grande diferença. Um e-commerce de perfumes, por exemplo, pode se beneficiar simplesmente segmentando bem todos os clientes e produtos e enviando e-mail marketing para cada grupo de consumidor — anúncios de perfume feminino, por exemplo, para quem adquiriu ou pesquisou esse produto.

O que você precisa saber para começar?

Uma estratégia de Big Data envolve alguns passos básicos:

  1. mapeamento das fontes de dados;
  2. estruturação dos dados;
  3. segmentação de dados;
  4. automação da estratégia, com conexão a ferramentas de BI, social media etc.;
  5. análise dos dados, cuja precisão permite prever os comportamentos futuros do seu consumidor.

Duas dicas básicas para começar o trabalho com uma estratégia de Big Data bem-sucedida: tenha paciência e conte com o parceiro certo.

A paciência é necessária porque, de modo geral, uma estratégia de Big Data consistente vai demorar cerca de um ano para realmente apresentar toda a potencialidade de que é capaz e disponibilizar os insights mais importantes para o seu negócio. À primeira vista, pode parecer muito tempo, mas, acredite: o resultado a longo prazo vale a pena, pois permite uma análise muito mais precisa.

Já encontrar o parceiro certo diz respeito a quem vai ajudar a sua empresa a utilizar o Big Data da melhor maneira. Trabalhar com uma estratégia assim não é simplesmente instalar uma plataforma, é entender as necessidades do seu negócio e orientar a coleta de dados no sentido delas.

Contar com um parceiro que não apenas forneça a tecnologia, mas também ofereça um bom suporte para você entender o que precisa ser feito é essencial. Por isso, dar preferência aos grandes players internacionais nem sempre é a escolha mais acertada, pois é necessária uma parceria com mais disponibilidade.

Quer descobrir como podemos ajudá-lo a tornar sua estratégia de Big Data um sucesso? Entre em contato conosco e vamos descobrir juntos quais são as melhores soluções especificamente para a sua empresa!