Estamos vivendo a era das informações. Não há mais espaço para tomadas de decisões em achismos e crenças. Uma gestão de dados eficiente permite que uma empresa tenha vantagens competitivas no mercado, enquanto aquelas que não se atualizam acabam ficando pelo caminho.

Qualquer gestor que ignora resultados na hora de escolher uma ação compromete a empresa e sua estrutura. Conceitos como Big Data, Inteligência Artificial, Internet das Coisas e Marketing por Dados estão cada vez mais em alta. Dessa forma, se tais informações são tão valiosas assim, é preciso ter muito cuidado com elas.

Mas afinal, como se deve trabalhar esses dados? Como essas informações realmente podem se tornar valiosas para as organizações? Essas são as perguntas que devem ser respondidas!

Por isso, criamos este conteúdo bem completo, abordando diferentes pontos de análise. Levantaremos os seguintes tópicos:

  • o que é a gestão de dados;
  • o que é Big Data;
  • o que é unificação de dados;
  • quais são os benefícios da unificação de dados;
  • quais são os impactos para a segurança dos dados;
  • como os dados podem ser usados em campanhas de marketing; e
  • quais são os benefícios para campanhas de Marketing por dados.

Se você não quer deixar a sua empresa para trás da concorrência, acompanhe a leitura deste material e veja como a gestão de dados é fundamental. Boa leitura!

O que é gestão de dados?

Grandes empresas, tanto no Brasil como fora, já começaram a tomar decisões baseadas em dados há algum tempo. Informações eram coletadas, armazenadas e interpretadas para gerar mais certezas e descobrir oportunidades em um campo desconhecido ou muito competitivo.

No entanto, com o avanço do acesso à internet, tudo ganhou uma maior proporção. Se antes nós tínhamos que ir ao banco para fazer uma transação bancária, agora isso pode ser feito de maneira rápida, simples e segura, com um aparelho móvel, na palma de sua mão.

Há, até mesmo, exemplos negativos da utilização de dados. Na última eleição dos Estados Unidos, vencida por Donald Trump, o presidente foi acusado de utilizar uma agência de inteligência de dados para acessar irregularmente informações dos usuários no Facebook, direcionando a campanha política.

Apesar de ser um exemplo negativo, a política pode apresentar ganhos consideráveis com a utilização de dados. Se houver apropriação de dados públicos, os governantes poderão ser pressionados e, assim, mais resultados para a população poderão surgir.

As redes sociais também são exemplos de fonte de dados interessantes. Um usuário pode até não perceber, mas ele deixa um rastro digital em que é possível conhecer seus hábitos, lugares que frequenta, gostos e interesses. Com isso, uma empresa consegue utilizar essas informações para oferecer o produto ideal. É o que chamamos de marketing por dados, muito mais eficiente do que modelos anteriores.

Então, com cada vez mais empresas buscando essas informações, tornou-se quase que uma obrigação dos gestores coletarem todo e qualquer tipo de dado. Porém, não adianta somente captá-los, eles precisam ser interpretados e gerar ações!

Por isso, precisamos falar da gestão de dados. O objetivo desse gerenciamento é fazer com que uma empresa tenha profissionais capacitados, processos alinhados e equipamentos eficientes para coletar, armazenar e interpretar essas informações.

Na verdade, um dado bruto não tem tanta valia para uma organização. Para que isso se torne uma vantagem, ele precisa ser transformado em informação, conhecimento e sabedoria. Aí sim isso pode trazer ganhos interessantes.

Imagine no varejo, por exemplo. Uma empresa que fabrica e vende roupas pode utilizar os dados para conhecer o perfil de consumo em cada região, identificando os estilos, as cores e os modelos que têm maior saída nas localidades. Com isso, os produtos podem ser direcionados, evitando acúmulos em lugares pouco estratégicos e reduzindo custos de transporte e armazenagem.

No entanto, a gestão de dados não está somente ligada à utilização das informações pela empresa, mas também na segurança delas. Afinal, estamos falando de dados importantes dos clientes que não podem ser desviados ou compartilhados.

Há casos de empresas que não executaram o devido cuidado e preparo para manter os dados sob segurança e tiveram as informações de seus clientes expostas no mercado. Isso representa uma grande perda financeira e de confiança com o público.

O que é Big Data?

Big Data é um conceito muito interessante de entendermos nesse momento. Se estamos falando de usar os dados como vantagem estratégica, devemos considerar que o volume e variedade de informações é gigante.

Big Data é justamente um grande volume de dados, que devem ser tratados e analisados com alta velocidade para que as empresas possam usar essas informações para gerar resultados.

Aliás, a velocidade com que um dado bruto é transformado em conhecimento relevante é muito importante, uma vez que, se esse processo for demorado, pode perder totalmente o valor.

O que é unificação de dados?

Com tantas portas de entrada, seja por redes sociais, aplicativos, e-commerce, chatbot etc., os dados estão cada vez mais heterogêneos. Seria o sonho de qualquer gestor ter essas informações sempre padronizadas para serem trabalhadas com mais facilidade, mas isso não acontece.

Se uma empresa toma decisões a partir de somente uma fração de dados coletados de um cliente, a interpretação pode ser totalmente deturpada. É preciso alinhar todas as informações, transformá-las em um conjunto e, aí sim, traçar estratégias realmente eficientes. Para isso, a unificação é uma boa ideia.

Para fazer essa unificação, devemos considerar quatro etapas: automação da extração, garantia de qualidade, limpeza dos dados e visualização.

A organização deve criar ferramentas e mecanismos para que haja uma captação recorrente de dados. Por exemplo, se uma equipe de marketing cria um simples pop-up fixo no site e essa estratégia vai gerando novos leads com recorrência, isso é uma estratégia de automação.

Porém, não basta simplesmente encher a base de dados com qualquer informação. Ela precisa ser de qualidade. Por isso temos a nossa segunda etapa. Deve-se criar testes para verificar se realmente aquele lead gerado é um bom potencial para a empresa. Se não for, deve ser limpado da base: nosso terceiro ponto.

Por fim, chegamos na visualização. Temos aquele lead que se cadastrou no pop-up e que realmente é um bom potencial cliente para a empresa. Então, ele pode ser colocado em um fluxo de e-mail marketing, ser direcionado para o contato direto ou o que mais for interessante para a marca.

Para a unificação realmente eficiente é preciso um alinhamento entre profissionais bem capacitados e centrados no objetivo da empresa e tecnologia. Esse é um casamento em que ambos devem cumprir seus papéis. Se um lado não contribuir, não há bons resultados!

Quais são os benefícios da unificação de dados?

Agora, vamos focar nos benefícios que a unificação dos dados pode gerar para uma empresa. Confira quais são eles a seguir!

Garantia de dados de maior qualidade

Com as informações centralizadas e unificadas, os dados passam por processos definidos dentro da organização e isso garante a boa qualidade.

O conceito de Data Warehouse vem chamando a atenção dos profissionais. Também chamado de “armazém de dados”, ele trabalha com o local em que essas informações serão armazenadas.

Por muito tempo as empresas, mesmo as de grande porte, cuidavam de seus dados em planilhas de Excel. Com o passar do tempo e o aparecimento do Cloud Computing, ou armazenagem em nuvem, isso foi mudando.

Agora, o próprio Data Warehouse utiliza a nuvem para armazenar as informações, assumindo diferentes formatos e tamanhos a partir das necessidades das empresas e clientes.

Alguns profissionais tratam esse armazém de dados como o último estágio de tratamento das informações, depois que os dados já foram extraídos, tratados e analisados.

A unificação e a centralização são duas das maiores vantagens em contar com uma solução de Data Warehouse, uma vez que ela pode atuar em todos os processos de gestão de dados.

Facilidade na utilização das informações

Ainda falando da solução de Data Warehouse para unificar os dados, é interessante verificar que ela permite que a empresa manipule uma grande quantidade de informações.

Essa facilidade na utilização permite que a organização tenha acesso às análises com maior velocidade e precisão, garantindo estar à frente no mercado, criando e aproveitando as melhores oportunidades.

A unificação dos dados permite que a empresa não perca informações ao longo do caminho, alimentando cada vez mais o perfil de clientes e as estratégias, criando um mecanismo que se torna cada vez mais inteligente.

Maior segurança dos dados

A unificação de dados também gera uma maior segurança, tanto para a empresa, pois as próprias informações estão ali contidas, como aos clientes. Com a maioria dos processos sendo feitos utilizando a internet, o investimento na segurança das informações se tornou fundamental.

Imagine uma empresa de médio ou grande porte simplesmente ter a sua estrutura de segurança violada, deixando à mostra os dados de um grande volume de clientes. Isso poderia significar o fim daquela organização ou um grande desgaste com o público.

Criação de estratégias focadas no objetivo

Um dos passos mais importantes para uma empresa trabalhar os dados é estabelecer os objetivos por trás disso. Seja conhecer melhor o comportamento do público-alvo, analisar a concorrência, identificar uma oportunidade futura ou qualquer outro alvo, isso deve ser bem definido.

Uma vez que os dados estão unificados e é gerada maior eficiência em todas as etapas, desde a extração até a análise, fica mais fácil criar estratégias com foco no objetivo.

Lembrando que sempre é necessário estabelecer KPIs, ou Key Performance Indicators, que representam os indicadores de desempenho, para acompanhar o andamento das ações e se realmente estão sendo eficientes.

Quais são os impactos para a segurança dos dados?

Como já falamos ao longo deste conteúdo, a segurança dos dados não deve ser pensada somente por causa da empresa em si, mas também de seus clientes. Ter as informações do público expostos pode ocasionar no fechamento da companhia. Em casos de operações financeiras pela internet, esse cuidado deve ser redobrado, uma vez que os dados bancários dos clientes estão em jogo.

A unificação dos dados também é um fator que ajuda bastante a agregar uma maior segurança. Não só isso, o próprio contrato de confidencialidade firmado entre a empresa e seus colaboradores deve ser estabelecido. Afinal, se tratando de segurança, nenhuma ação é demais!

Como os dados podem ser usados em campanhas de marketing?

Os dados, quando bem trabalhados e analisados, são muito valiosos para toda a empresa, mas em especial para o setor de marketing. Uma vez que esse departamento é responsável por traçar as estratégias e garantir boas oportunidades para geração de lucro, formar ações mais efetivas é um objetivo diário. Com esse intuito, diferentes empresas já enxergaram o potencial na análise de dados.

Imagine que uma empresa deseja aumentar o alcance de suas estratégias. Então, ela planeja utilizar as redes sociais para isso, mais especificamente o Facebook. A ideia da equipe responsável é criar um anúncio, mostrando seu principal produto e os diferenciais. Será que essa estratégia seria interessante se o público-alvo escolhido fosse todo o país, sem qualquer segmentação? Certamente não!

A segmentação de dados deve ser sempre utilizada em qualquer estratégia de marketing. Isso garante que seus recursos, financeiros ou o próprio tempo dos colaboradores, estejam sendo aplicados para quem realmente pode vir a ser um cliente da marca.

No exemplo que criamos, se a empresa é baseada em um estabelecimento físico, essa ação passa a ser interessante se for direcionada a uma segmentação local, definindo a região limite da audiência.

Em outros casos, mesmo aquelas empresas que trabalham com e-commerce e vendem para uma região bem maior, seja em todo o território nacional ou até fora dele, a segmentação da audiência ainda é importante. Você pode deixar de fora, por exemplo, quem não está na faixa etária pertencente ao seu público-alvo.

Uma outra forma interessante de utilizar os dados nas estratégias de marketing é no momento da definição de uma persona. Ela é a personificação do seu cliente ideal e não deve ser definida de qualquer forma, com base em achismos e crenças.

A persona deve ser formatada a partir de resultados concretos, e a gestão de dados pode ser uma grande parceira nesse momento. Se a sua empresa já tem uma base de clientes, que tal cruzar essas informações e encontrar padrões? Assim você pode identificar comportamentos ou características similares e, assim, direcionar melhor as campanhas criadas.

Geomarketing

O geomarketing é uma excelente técnica de utilização dos dados para montagem das estratégias de marketing. Cada vez mais nós, consumidores, usamos os celulares para as tarefas do dia a dia. Gostamos de compartilhar fotos nas redes sociais, marcando os lugares que visitamos.

Deixamos dicas de estabelecimentos que frequentamos e indicamos nossos comportamentos, além de informações bem estratégicas para uma empresa. O geomarketing usa justamente os dados de localização para segmentar a audiência e trabalhar melhor os leads.

Engana-se quem acha que lojas físicas não devem ou não conseguem utilizar os recursos digitais. Basta analisar o exemplo que criamos anteriormente. Um restaurante pode criar anúncios para um público de sua cidade e a divulgação de um evento pode ser direcionada para o público da região. Os exemplos são diversos.

Quais são os benefícios para campanhas de marketing por dados?

Depois de mostrar como os dados podem ser usados nas campanhas de marketing, vamos falar um pouco sobre os benefícios dessa utilização.

Maior retorno sobre investimento

O retorno sobre investimento, também conhecido como ROI, Return On Investment, é um dos principais KPIs controlados pelos gestores. Esse indicador mostra o quanto uma determinada ação gerou de retorno para a empresa, indicando se foi interessante ou não aquele investimento.

Pensando nisso, o marketing sempre esbarra no ROI. Anúncios na plataforma do Google Adwords, Facebook Ads, Instagram Ads, eventos, ferramentas de automação para e-mail marketing e até mesmo as campanhas de marketing offline podem ser avaliados quanto ao ROI.

O próprio Google Analytics consegue mostrar esse indicador, evidenciando o número de cliques nos anúncios, quantidade de conversões e, claro, o valor investido. Se você e sua equipe simplesmente criam uma série de ações de marketing, mas não fazem o controle do ROI, podem estar alocando seus recursos em algo sem um bom retorno, enquanto ótimas estratégias são deixadas de lado.

Maior conhecimento sobre o público-alvo

A base de qualquer estratégia de marketing deve sempre ser o público-alvo. Afinal, uma empresa deve buscar soluções que atendam às necessidades dessas pessoas. Isso faz parte do conceito de Inbound Marketing, em que a marca investe em conhecimento e coloca todo o foco do trabalho nos seus clientes.

Pensando nisso, quanto maior for o conhecimento da organização no público-alvo, mais assertivas se tornam as ações e uma melhor experiência será gerada aos clientes.

Os dados dos consumidores podem ser obtidos em diversas fontes, seja nas redes sociais, em uma conversa no chat online, em aplicativos de mensagens, nas compras na loja virtual, entre outras. Essas informações devem ser armazenados e trabalhados com uma boa gestão para isso se tornar uma ferramenta relevante na tomada de decisões.

Antecipação de novas tendências

Imagine se os antigos gerentes da Blockbuster pudessem voltar no tempo e considerar a entrada de novas empresas no ramo apostando em tecnologia. A Netflix desbancou um dos maiores nomes empresariais do planeta. Muitos dizem que isso é fruto de um bom trabalho, já outros atrelam o crescimento da Netflix com a displicência da irmã mais velha com as novas tendências.

Fato é que as organizações devem sempre estar de olho no surgimento de novas tendências no mercado. A tecnologia vem avançado de maneira bem acelerada. A própria utilização dos dados para gerar inteligência, apesar de não ser algo novo, vem chamando a atenção agora pelos resultados que consegue agregar.

Dentro do departamento de marketing, utilizar os dados de mercado para acompanhar o comportamento e surgimento de novas ideias é crucial para manter uma boa competitividade da marca e estar sempre à frente no mercado.

Maior conhecimento do mercado

Não só o público-alvo uma empresa precisa conhecer, mas todo o mercado em que ela está. Os próprios concorrentes são fontes de dados relevantes.

Ações de benchmarking são bem frequentes entre as empresas. A ideia é analisar uma marca concorrente e verificar todo o seu processo, seja o site, procedimentos de compra, produto ou o tratamento ao cliente. A partir dessa análise podem ser geradas ideias de melhoria importantes.

Utilização de dados obtidos dentro e fora da internet

Um dos conceitos que vem ganhando destaque entre os profissionais de marketing é o onboarding de dados. Ele carrega a premissa de que uma empresa deve utilizar as informações obtidas dos clientes, tanto no meio digital como offline.

Essa utilização deve ser complementar. As informações obtidas na internet devem ser usadas em conjunto àquelas que foram extraídas no espaço físico. Dessa forma, um banco de dados mais robusto e completo será formado, permitindo estratégias mais eficientes e completas.

O intuito de usar essas informações é obter maior inteligência na segmentação das campanhas. Assim, você aumenta o ROI e pode gerar uma maior lucratividade.

Portanto, como vimos ao longo do nosso conteúdo, a gestão de dados é extremamente importante em qualquer tipo de empresa ou negócio. Cada vez mais se torna necessário criar ações com base em resultados, não mais em achismos e crenças.

A tecnologia deve ser utilizada para gerar uma melhor experiência aos clientes, além de dar mais possibilidades às empresas na criação de estratégias. Fique atento às dicas que fornecemos neste conteúdo e sempre analise se a sua empresa está tomando decisões inteligentes e sólidas.

Lembre-se de sempre priorizar ações que aumentam a segurança das informações. Isso garante que a sua empresa está criando uma boa base de dados, mas também transmite aos seus clientes que eles estão mantidos sob sigilo, o que gera confiabilidade, segurança e, consequentemente, novos negócios.

Contar com uma solução eficiente de gerenciamento de informações pode trazer ótimos resultados, aumentando o potencial e os lucros! Agora que você já viu sobre a gestão de dados e como a unificação pode gerar mais segurança para a sua empresa, conheça melhor o conceito de onboarding de dados em nosso artigo sobre o tema!

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Adonis Batista

CEO e Nômade

Previous Saiba como usar dados de forma inteligente nas ações de marketing!
Next SEO para vídeos: saiba como aumentar o número de visualizações!
Close

NEXT STORY

Close

Guia da mídia digital: tudo o que você precisa saber

04/12/2017
Close