estrategias-marketing

Estratégias de Marketing para e-commerce: um guia completo para você

Onde estão os consumidores? A resposta para essa pergunta nunca foi tão fácil quanto nos dias de hoje. Você sabe que, agora mesmo, muitos potenciais clientes estão na internet realizando uma busca para iniciarem seus processos de compra. Porém, da mesma forma que a sua empresa, há milhares de outras competindo pela atenção e o dinheiro dessas pessoas. É justamente por isso que as estratégias de marketing para e-commerce fazem toda a diferença.

Mas que estratégias são essas? Se você já trabalha com comércio virtual há algum tempo, deve ter se lembrado de algumas delas. Talvez, até tenha tentado usar algum tipo de e-mail marketing em datas comemorativas ou recorrido às redes sociais para tentar alavancar as vendas, mas sem o resultado desejado.

Então, o que fazer para se destacar? Quer saber quais são as estratégias realmente matadoras que podem garantir a presença virtual do seu e-commerce e aumentar seu faturamento? Pois nós selecionamos as principais e montamos um guia completo para ajudar você. Acompanhe:

A importância do marketing para seu e-commerce

Talvez, a melhor palavra para definir o que a internet representou para o comércio seja oportunidade. A rede tornou real a possibilidade de oferecer produtos e serviços para consumidores do mundo inteiro.

Além disso, a web fez com que a mídia tradicional, que exigia a aplicação de milhões para a propaganda, deixasse de ser a única forma de divulgação. Hoje é possível obter excelentes resultados por meio do marketing digital, com investimentos muito mais acessíveis.

Porém, ao mesmo tempo em que trouxe essa imensa vantagem, a internet abriu espaço para uma enorme concorrência. Assim como a sua empresa, qualquer outro empreendedor tem a mesma chance de divulgar o próprio negócio e abordar o cliente.

Isso significa que, embora a oportunidade exista, ela vem com um enorme desafio: o de se destacar para vencer os concorrentes. É nesse contexto que o marketing digital vem se tornando cada vez mais importante.

Não basta ter um e-commerce. Para que ele consiga atrair consumidores e gerar vendas, é preciso ter presença online. É fundamental trabalhar para que a marca ganhe força, passe à frente da concorrência e alcance bons resultados.

O marketing digital para o seu e-commerce vai garantir que:

  • sua loja virtual se destaque diante de tantos concorrentes que oferecem os mesmos produtos ou similares;
  • seu site apareça entre os primeiros resultados das buscas dos usuários da internet, aumentando as chances de os produtos do seu negócio serem vistos e comprados;
  • o consumidor conheça o nome do seu e-commerce e não o considere um comércio desconhecido, no qual as pessoas têm receio de comprar;
  • o aumento das suas vendas.

O trabalho de marketing é essencial para construir quatro pilares fundamentais para o sucesso de um e-commerce. Entenda quais são eles:

1. Branding

Por que comprar na sua loja se X, Y e Z vendem os mesmos produtos ou similares? A diferença pode estar no branding. A construção de uma marca forte, reconhecida em seu ramo de atuação, é fundamental para atingir o resultado desejado.

Ao fortalecer a marca e criar uma imagem positiva, você diz ao consumidor exatamente o que ele pode esperar de sua atuação. Ele entende quais são os valores, que tipo de experiência a empresa proporciona ao cliente e os diferenciais do negócio no mercado.

Em um e-commerce, o branding tem um papel ainda mais importante. Ele faz com que a sua loja saia do anonimato, conquistando um espaço próprio dentre as milhares lojas virtuais ativas no país.

Além disso, não é incomum os consumidores ainda terem algum receio de comprar pela internet. As pessoas podem ter medo de não receber os produtos ou serem vítimas de alguma fraude. Quando a loja tem uma marca forte, os compradores entendem que ficarão livre desses tipos de riscos.

2. Brand Awareness

Trata-se de uma métrica, um indicador que sinaliza o quanto uma marca é conhecida pelos consumidores e qual é a imagem que eles possuem dela.

O marketing digital inclui ações que ampliam a visibilidade de um e-commerce no mundo virtual, fazendo com que uma loja ganhe notoriedade e seja bem lembrada pelo público-alvo da empresa.

3. Reputação

Para conquistar esse aspecto, é importante construir um relacionamento com influenciadores. A avaliação desses profissionais da web é uma forma de intensificar a percepção da marca e dos produtos que a loja oferece.

Nesse sentido, os principais recursos para melhorar a reputação são: atuação nas redes sociais, distribuição de brindes para os influenciadores e participação em eventos do segmento do e-commerce.

4. Engajamento

Vivemos em uma época em que as empresas não são as responsáveis pelo grande volume de conteúdo produzido e veiculado. As pessoas podem até consultar os sites e acompanhar as notícias, mas o tempo que elas passam nas redes sociais é ainda maior.

Ou seja, grande parte da informação que as pessoas consomem — e acreditam — é produzida por pessoas como eu e você. E o ponto de vista de outros consumidores tem um papel essencial na formação de opinião.

Nesse contexto, o engajamento é fundamental. A experiência positiva que um consumidor teve com uma empresa pode ser compartilhada e até mesmo viralizar, gerando uma publicidade gratuita e de alta credibilidade.

Logo, é fundamental manter um relacionamento próximo com os consumidores. Isso fará com que as pessoas enxerguem valor na sua empresa e no que ela oferece ao público.

Esse tipo de diálogo contribui para estabelecer um patamar de confiança e conquistar uma legião de defensores que agirão como verdadeiros embaixadores da sua marca diante dos consumidores.

7 estratégias incríveis de marketing para e-commerce

Agora que você já sabe o que o marketing pode fazer pelo seu e-commerce e qual é a importância dele para uma loja virtual, é hora de saber como fazer isso. Vamos ver quais são as estratégias para alcançar esses resultados:

1. Mídia programática

Onde veicular a sua mensagem para atingir o público-alvo desejado? Se você acredita que precisa se debruçar sobre estatísticas para alcançar os resultados, a mídia programática chegou para mudar o seu conceito.

Ela utiliza uma ferramenta ou programa para comprar mídia. Você escolhe o público-alvo e a segmentação ideal e a própria plataforma adquire os espaços publicitários ideais para atingir os objetivos da loja por meio de leilões.

A partir desse ponto, a ferramenta distribui as peças criativas que sua empresa produziu e faz todo o trabalho sozinha, com pouquíssima ou nenhuma interação humana.

2. E-mail marketing segmentado por comportamentos

Se você já tentou enviar um único e-mail para sua base de contatos anunciando promoções, deve ter percebido que dificilmente se obtém um bom retorno com esse tipo de estratégia.

Na verdade, ações assim ignoram um dos princípios básicos do marketing — o de que a campanha deve ser baseada nos interesses específicos da sua buyer persona.

Por isso, não adianta basear uma campanha de e-mail marketing em uma lista comprada. Também não adianta mandar o mesmo e-mail para toda a sua lista, mesmo que ela tenha qualidade e seja construída por sua própria empresa. Nos dois casos, as chances de fracasso são realmente grandes.

Por mais trabalhoso que seja montar uma lista segmentada, esta é a única alternativa para empresas que realmente desejam obter retorno com e-mail marketing. Para isso, consiga e-mails autorizados e os separe de acordo com o interesse que o cliente manifestou em seu site.

Ao investigar as páginas que o usuário visitou e os produtos que ele buscou no seu site, é possível elaborar conteúdo relevante, de acordo com os interesses desse indivíduo, e oferecer produtos que ele está propenso a consumir.

A partir daí, conduza a campanha de e-mail marketing com seriedade máxima: conheça o público-alvo, personalize as campanhas, elabore títulos que instiguem a curiosidade do leitor.

Assim, você vai conseguir que a pessoa abra o seu e-mail, encontre exatamente o que deseja e transforme esse contato em compra.

3. Chatbots

Segundo a Forbes, 55% dos consumidores preferem interagir com a tecnologia nas lojas em vez de encararem vendedores reais.

Afinal, todos sabemos o quanto uma abordagem pessoal pode ser invasiva e desconfortável e o quanto costumamos fugir dos atendentes quando entramos em um estabelecimento. Esse é, inclusive, um dos diferenciais que facilitam a conquista de tantos adeptos ao e-commerce.

No entanto, quem compra em lojas virtuais sabe que, às vezes, surgem dúvidas, e o consumidor precisa de respostas. Além disso, algumas operações comerciais exigem a realização em etapas, que precisam de um certo nível de interação.

Para essas situações, o e-commerce tem se beneficiado de soluções que ganham cada vez mais espaço no mercado: os chatbots. Eles prestam toda a assistência que o consumidor precisa ao realizar uma compra, mas sem o embaraço causado pela ação humana.

O uso de um chatbot traz ainda outras vantagens ao processo:

  • o consumidor é atendido imediatamente, não existindo espera;
  • os chatbots estão sempre com um “excelente humor”, diferente de alguns vendedores;
  • os chatbots guardam, em sua memória, as interações anteriores com o cliente. Assim, eles registram as preferências e as levam em consideração ao sugerirem soluções;
  • os problemas causados quando o cliente tem algum tipo de dificuldade durante a compra em um site ou aplicativo são solucionados;
  • a interrupção do fluxo de compra é evitada, pois é possível oferecer todas as informações e a assistência de que o consumidor precisa no site;
  • o aumento das vendas é estimulado, já que se pode adicionar itens ao carrinho de compras com apenas uma mensagem ao chatbot.

4. Remarketing ou retargeting

Imagine se você pudesse oferecer os seus produtos exatamente para quem tem uma propensão maior a comprar? Certamente, as chances de converter as ofertas em compras seriam mais altas, certo?

A boa notícia é que isso é perfeitamente possível, e o remarketing é uma das estratégias mais indicadas para obter o resultado. Ele coloca cookies no computador dos visitantes, adicionando-os a uma lista de público-alvo.

Para que o método seja efetivo, não basta simplesmente adicionar os cookies. A seleção de quem pode ou não ser considerado um alvo propenso à compra é baseada em alguns critérios, como o tempo de permanência no site ou a quantidade de cliques.

Essas informações servem para determinar se o visitante é um “possível interessado” em alguns tipos de produtos específicos ou no catálogo da loja. O ID do internauta passa a fazer parte de uma lista de público-alvo.

A partir dessa adição, o usuário integra um grupo preferencial que recebe anúncios por meio de diversas redes de anúncios como Google AdWords (rede de pesquisa) ou Google Display(rede de display) e até mesmo redes sociais. Dessa forma, ele é exposto a um determinado anúncio com maior frequência, de acordo com suas próprias preferências.

Mesmo que sua empresa não utilize essa estratégia, você, com certeza, já vivenciou o remarketing como usuário. Vamos ver um exemplo:

Imagine que você pesquisou por smartphone no Google. Apareceram várias opções, e você clicou naqueles que mais lhe interessaram, de acordo com suas preferências. Após fechar essa busca, esses celulares que viu recentemente e outros produtos similares sempre aparecem durante sua navegação, até mesmo nas redes sociais.

Veja outras formas como o remarketing aparece em nosso dia a dia:

  • mostra produtos que o usuário visualizou em visitas anteriores ao site;
  • divulga anúncios entre pessoas que acessaram sites mobile ou aplicativos;
  • exibe anúncios para usuários que visitaram o site recentemente quando eles pesquisarem assuntos relacionados aos seus produtos ou serviços;
  • apresenta anúncios para quem interagiu com seus vídeos ou canal no YouTube depois do acesso ao e-commerce em outros canais da Rede de Display.

5. Social proof

Mesmo que encontre um produto maravilhoso pela internet, o cliente pode ter uma série de dúvidas. Como não tem a possibilidade de tocar ou provar a mercadoria no momento da busca, ele pode pensar: “Será que é realmente bom?”; “O produto realmente cumpre o que promete?”; “Essa descrição corresponde à realidade?”

Depoimentos, números de clientes ou produtos vendidos estão entre as principais formas de tirar esta dúvida. Logo, os social proofs, ou “provas sociais”, atestam a aprovação dos seus produtos ou serviços e demonstram a satisfação dos consumidores.

6. Conteúdo gerado pelo usuário

Quem você acredita que gera mais credibilidade diante do consumidor, a sua empresa ou um usuário comum? Lembre-se de que as pessoas sabem que um vendedor sempre ressaltará os aspectos positivos de seu produto. Portanto, elas entendem que toda propaganda é parcial.

O mesmo não acontece quando os potenciais clientes ouvem outros consumidores. Além se identificarem com necessidades e desejos de outros usuários, eles acreditam que a avaliação do público é verdadeira, já que não tem o compromisso de “vender o peixe” para uma determinada marca ou empresa.

Por isso, o conteúdo gerado pelo usuário é extremamente poderoso para atrair outros consumidores. Sua empresa pode incorporar essa estratégia de várias formas no site de e-commerce. Conheça algumas:

  • reviews e testemunhos na homepage ou nas páginas de produtos;
  • depoimentos em anúncios e em e-mails enviados aos assinantes;
  • ferramentas como a Yotpo, que facilitam a adição de conteúdo gerado por usuários ao site.

7. Referências e indicações

Os antigos vendedores de porta em porta já conheciam muito bem o valor de uma indicação para impulsionar as vendas. Embora isso possa ser feito de jeitos diferentes no século XXI, a estratégia continua extremamente válida.

Mas como você pode estimular que seus clientes indiquem suas lojas aos seus contatos? Um programa de recompensas pode ser uma ótima solução.

O primeiro ponto que merece destaque é que, além de conectar sua marca a novos clientes, esse tipo de programa pode incentivar os atuais clientes a comprarem novamente. Isso acontece quando, ao indicarem um amigo, eles recebem um percentual de desconto na próxima aquisição.

Assim, você pode criar um programa de referência personalizado para o e-commerce, divulgar a loja virtual a cada compra ou contato dos consumidores e ver as vendas crescerem exponencialmente.

Benefícios do marketing para o e-commerce

Você conheceu, até aqui, algumas das principais estratégias que pode utilizar para aumentar a presença do seu e-commerce na rede e alavancar as vendas. Agora, entenda as vantagens que o marketing digital pode trazer à sua loja virtual:

1. Custos reduzidos

Em um passado relativamente recente, as campanhas publicitárias eram verdadeiras superproduções. Elas exigiam verbas altíssimas não apenas para a elaboração das peças criativas, mas também para a divulgação nos poucos veículos de mídia tradicional.

O resultado era que apenas as grandes empresas do mercado dispunham de verba suficiente para bancar a divulgação. Outros negócios, pequenos ou médios, tinham a oportunidade de atuar apenas localmente.

O marketing digital mudou essa realidade. Ele oferece ferramentas com preços acessíveis para a maioria das empresas. Além disso, os investimentos podem ser ajustados de acordo com o alcance e aumentados gradualmente, à medida que a loja obtém melhores resultados e pode investir em sua expansão.

2. Construção da marca

As campanhas de marketing têm o poder de construir uma marca, torná-la conhecida pelos consumidores, gerando credibilidade e percepção de qualidade.

Quando as pessoas resolvem realizar uma compra, elas desejam saber que estão depositando suas expectativas em algo em que possam confiar. O fortalecimento de uma marca estimula justamente esse sentimento.

3. Foco máximo no cliente em potencial

Pense em uma campanha de marketing tradicional, veiculada na “velha mídia” ou “mídia tradicional”. O anunciante investe alto para fazer um anúncio de televisão, visto por milhões de pessoas, sendo que grande parte delas (talvez a maior parte) sequer se interessa por determinado produto ou serviço.

Mesmo que a empresa veicule seu anúncio em horários em que a audiência do seu público-alvo é maior, ela não consegue impedir que alguma fatia desse investimento seja “desperdiçada” com a exibição para pessoas que definitivamente não se identificam com a oferta.

Essa é também a razão pela qual grande parte da base de anunciantes oferece produtos ou serviços genéricos, e dificilmente se vê uma propaganda tradicional direcionada a nichos muito específicos.

O marketing digital elimina esse problema e garante o foco máximo no público-alvo com potencial para adquirir o produto ou serviço desejado. As campanhas são voltadas para uma base segmentada, com um perfil típico. Assim, a divulgação é muito mais efetiva.

4. Relacionamento com o público-alvo

Diferentemente da publicidade tradicional, em que ocorria uma comunicação de mão única, o marketing digital permite um relacionamento entre os consumidores e a empresa. Além conquistar o cliente e sua preferência, esse tipo de interação fornece um feedback valioso.

Ao participar, o consumidor sinaliza diretamente quais são as suas expectativas, e a empresa se prepara para atendê-las. Os aplicativos e softwares também permitem mapear o comportamento do consumidor e rastrear seus desejos, possibilitando o desenvolvimento de produtos e serviços cada vez mais compatíveis com a demanda do mercado.

5. Fidelização de clientes

A interação produz ainda outro resultado: a fidelização de clientes. Os consumidores se tornam verdadeiros fãs da marca, dispostos a promovê-la e defendê-la entre sua rede de contatos.

6. Capacidade de mensuração

Uma das maiores vantagens do marketing digital é a possibilidade de mensurar a efetividade das ações. Hoje, existem ferramentas que produzem relatórios que mostram, em detalhes, o alcance de cada ação.

É possível saber os números de visualizações que uma peça criativa alcançou e de cliques que vieram como resultado, os leads (seguidores) que ela trouxe para a base da empresa e as vendas que foram geradas.

Isso torna muito mais simples entender a quais ações o consumidor em potencial está mais susceptível e o que fazer para obter uma taxa de resposta melhor.

7. Facilidade de adaptação

Quando uma das superproduções da mídia tradicional falhava, o que a empresa podia fazer? Sem dúvida, ela poderia retirá-la de circulação, mas, ainda assim, isso significava o desperdício de milhões de reais.

Em uma campanha de marketing digital, essa adaptação é muito mais fácil e barata. Os indicadores sobre os quais falamos no item anterior servem como base para realizar alterações que são não só mais simples, mas também muito mais efetivas!

8. Aumento nas vendas

Como já ressaltamos, a concorrência na internet é muito grande. Por isso, da mesma forma que o seu e-commerce, muitos outros sites podem oferecer o mesmo produto e, na maior parte das vezes, a um preço bastante parecido.

Por isso, na hora da decisão do consumidor, a sua presença digital é fundamental. É o conhecimento da sua marca e a reputação que ela conquistou no mercado que garantem a credibilidade necessária para que ela seja considerada preferencial.

O comércio virtual é acessível a todos, e isso é fato. Porém, não se pode negar que, em um mundo de tantas oportunidades, destacam-se apenas aqueles que se profissionalizam. Da mesma forma que é fundamental dirigir o core business do negócio com eficiência, o marketing também não pode ser conduzido com amadorismo.

Usando as estratégias de marketing para e-commerce adequadas, é possível destacar uma loja virtual, conquistar clientes, alavancar as vendas e melhorar o faturamento.

Gostou das nossas dicas? Quer receber outras sugestões para promover o crescimento da sua loja virtual? Então, não perca tempo! Assine nossa newsletter e receba conteúdos especializados em primeira mão!