remarketing

Guia completo do Remarketing: tudo que você precisa saber

É inegável que a internet está cada vez mais alinhada aos hábitos de consumo das pessoas e é uma grande aliada na hora de fazer a segmentação do público-alvo de campanhas para as empresas. Prova disso é a possibilidade, na rede, de insistir em um desejo de consumo — abandonado ou não — pelos visitantes de uma página nos carrinhos de compra on-line, por exemplo. E, embora pareça uma simples perseguição publicitária, trata-se de uma estratégia muito bem definida no mercado: o remarketing.

Se o conceito parece não soar familiar, ele com certeza se aplica aos seus hábitos de navegação. O remarketing — ou retargeting — é o responsável por fazer com que os produtos ou serviços que você pesquisou on-line pareçam surgir, em seguida, em todas as páginas que você acessa.

Quer saber como essa estratégia pode ser aplicada no seu contexto e objetivos de marketing? Então, continue com a leitura deste post, que vai ser o seu guia completo do remarketing!

O que é remarketing?

Como já mencionado, o remarketing trabalha com anúncios de acordo com o seu perfil e hábitos de consumo on-line. São os banners de anúncios que aparecem em sites, blogs e também nas redes sociais, causando espanto nos navegadores pouco experientes no assunto.

Essa aparente coincidência é, na verdade, muito planejada e tem rendido resultados positivos às empresas. Inicialmente idealizada pelo Google Adwords, a campanha nasceu com o propósito de colher dados dos usuários para anunciar de maneira mais otimizada.

Com o tempo, o termo retargeting também adquiriu popularidade. Mas, em resumo, é a mesma solução. Trata-se apenas de uma diferenciação de ferramentas, sendo que remarketing nasceu com o Google e, retargeting com as demais plataformas que promovem essa solução.

O que o termo significa?

Targeting, em inglês, significa “mirar” ou “apontar”. Logo, entendemos a tradução do conceito como a oportunidade de direcionar novamente um anúncio ao consumidor. No remarketing a essência é a mesma, condicionada em insistir nos anúncios que podem gerar impacto no público-alvo.

Agora que estamos devidamente apresentados, vamos entender a relevância do uso dessa estratégia para o seu negócio.

Qual a importância do remarketing para as empresas?

O remarketing é claro em seus objetivos: aumentar as vendas. Soma-se a isso o aumento qualitativo nas compras por impulso. De acordo com um levantamento feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 37% dos entrevistados disseram comprar produtos que não necessitavam nos últimos 30 dias.

Dessa maneira, quem conteve o ato, de última hora, pode ter uma nova oportunidade de avaliar a compra por meio do remarketing. Principalmente porque, em paralelo à pesquisa do SPC Brasil e da CNDL, estão os dados levantados pelo Google Adwords de que 97% dos consumidores não convertem suas compras na primeira visita às lojas virtuais.

Assim, essa estratégia de marketing focada em dados trabalha de modo preciso os hábitos do consumidor. São anúncios que aparecem, aqui e ali, e ajudam a fazer com que o cliente em potencial amadureça a ideia da compra e não se esqueça dela logo ao entrar em um novo site, por exemplo.

Sem falar que, hoje em dia, conseguimos dividir o processo de compra em diferentes estágios, como:

  • consciência: momento em que o usuário procura por uma solução, mas ainda sem a certeza de comprá-la;
  • consideração: a solução já se faz presente, na mente da pessoa, que começa a comparar preços e marcas do produto ou serviço;
  • compra: é o ato consumado;
  • fidelização: é o trabalho em fazer uma campanha de pós-compra, promovendo uma experiência de compra surpreendente e, assim, motivando o consumidor a comprar novamente.

É possível perceber, então, que o remarketing pode ser uma eficaz ferramenta de conversão em cada uma dessas etapas.

Como funciona o remarketing?

Essa estratégia é utilizada por meio da plataforma que você tem o costume de trabalhar, como o Google Adwords, AdRoll ou FetchBack, entre outras.

Ela funciona de maneira personalizada porque os cookies (informações armazenadas dos acessos feitos pelos usuários) retêm os dados e, assim, possibilitam a visualização de quais sites parceiros das plataformas permitem os anúncios segmentados (chamados de Rede de Display) ou mesmo nas páginas de resultados dos mecanismos de busca (a Rede de Pesquisa).

Com isso, criam-se possibilidades variadas de interagir com o desejo de consumo, apresentando as soluções pesquisadas em um período específico (variável de acordo com as configurações utilizadas na campanha) para os usuários.

Quais são os meios para criar uma campanha de remarketing?

Existem duas maneiras principais de uso do remarketing: Redes de Display e Rede de Pesquisa do Adwords. A primeira, como já mencionado, anuncia os produtos ou serviços em sites parceiros que abrem espaço em suas páginas para anúncios pagos em banners.

Por sua vez, a Rede de Pesquisas do Adwords atua diretamente nas páginas de resultados do Google, Bing e Yahoo, entre outros. Só que a diferença se estende ao local dos anúncios, sendo também aplicada ao formato da campanha, como um resultado de pesquisa, entre outros.

Assim, quando o usuário fizer uma nova pesquisa a respeito daquela solução, o anúncio vai figurar em destaque entre os resultados de busca, visando facilitar o impulso de compra.

Só que, ao longo do tempo, a variedade de uso do remarketing também cresceu. Atualmente, o Facebook promove um serviço que apresenta os anúncios no próprio feed de notícias do usuário ou na barra lateral da rede social.

Outras maneiras de aplicar o remarketing podem ser conferidas logo abaixo:

Mobile

A tecnologia mobile está em alta, voltada para os clientes em potencial que acessam a internet por meio dos seus dispositivos móveis, como smartphones e tablets.

A importância de seu uso se deve à predileção dos internautas em navegar por esses aparelhos, fazendo com que as suas campanhas de remarketing sejam focadas apenas nessa tecnologia, e não em outros dispositivos.

Vídeos

Mais recente, o vídeo está entre as principais mídias consumidas pelos usuários. Dessa maneira tem se tornado possível o uso do remarketing a partir da interação do público com vídeos do YouTube, por exemplo, ajudando a ampliar a variação de estratégias.

Como criar uma campanha de remarketing?

Até aqui, vimos o que é e a importância do remarketing para as empresas. Agora, vamos começar a compreender o percurso percorrido para colocar suas estratégias em ação.

Tudo tem início com o bom e velho planejamento para definir seus objetivos e metas com aquela campanha. Afinal de contas, insistir em anúncios exaustiva e aleatoriamente, por exemplo, pode gerar o efeito contrário esperado, aborrecendo o usuário.

No fim das contas, a percepção estratégica traçada é a mesma de outras campanhas de Ads. Até por isso, a segmentação de clientes se faz fundamental para o sucesso de sua empreitada. A ação deve ser impactante e muito bem definida para mirar o consumidor em seus diferentes estágios do processo de compra, como vimos anteriormente.

Por isso, o remarketing funciona em um modelo de listas que permitem à sua equipe definir o tipo de ação que será tomada. É o caso da segmentação para usuários que apenas pesquisaram um produto, por exemplo, e outras listas para quem já comparou preços, abandonou o produto no carrinho de compras ou mesmo para quem já realizou a compra.

Existem outros tipos de listas que podem ser aproveitadas de acordo com as suas estratégias, como:

  • quem visitou o site de sua empresa;
  • as páginas visitadas (acima de cinco) em seu site;
  • as categorias específicas que o usuário navegou;
  • os produtos específicos clicados;
  • os hábitos de compra com base no valor da aquisição (como mais de R$ 50 ou de R$ 100);
  • os inscritos em seu blog;
  • os usuários que interagiram por meio de comentários nos conteúdos;
  • os usuários que chegaram até o produto por links nas redes sociais;
  • aqueles que baixaram outros conteúdos ricos de sua estratégia de marketing digital, como e-books.

Em seguida, a aplicação dessas listas funciona com o auxílio dos cookies. A relevância disso se percebe em muitos sites, que informam e solicitam aos seus visitantes a coleta desses dados.

Com eles é possível analisar em detalhes as informações armazenadas nos cookies. Consequentemente, a estratégia se torna mais personalizada, precisa e eficiente, uma vez que a plataforma filtra as melhores opções para anunciar o seu produto — seja nos resultados de busca ou na Rede de Display.

A etapa seguinte consiste em analisar o melhor período de sua campanha. Em tese, o padrão de uma estratégia de remarketing é de 30 dias. Após o período, os cookies são apagados, determinando o fim dos seus anúncios para os usuários segmentados de sua ação.

Só que é importante avaliar a flexibilidade desse período. Como exemplo, imagine que o seu objetivo era apresentar a sua solução para testes por 30 dias. Nesse caso é interessante estender em alguns dias o remarketing para que os interessados tenham um tempo de reflexão até se decidirem pela compra do seu produto.

Vale destacar, por fim, a importância dos sites parceiros na Rede de Display. Isso porque o grau de personalização das estratégias é louvável: como milhares de empresas cedem espaços em seus sites para os anúncios pagos, essas plataformas — como o Google — conseguem avaliar os melhores portais para anunciar os produtos.

É por isso que os usuários começam a receber ofertas de remarketing em sites relacionados — direta ou indiretamente — à pesquisa da pessoa. Por exemplo: ao procurar por um videogame, os anúncios de consoles podem aparecer em sites que comercializem TVs 4K e home theaters. Ou eletrodomésticos que surgem nos banners de sites de receitas, entre tantas outras possibilidades.

Para o remarketing isso vale ouro. São inúmeras as maneiras de impactar o seu público-alvo por meio de uma segmentação de dados precisa e eficaz para o marketing digital.

Dicas para montar sua campanha de remarketing

Além das etapas para construir uma campanha de remarketing, nós também reunimos uma série de dicas que visam trazer um direcionamento interessante para as suas ações. Entre elas:

  • atenção ao público-alvo de sua campanha, pois o remarketing se torna mais impactante à medida que você possui uma audiência relevante para o seu uso;
  • trabalhe com especificidade também nos anúncios. Segmente ao máximo para impactar a pessoa certa, com a mensagem adequada e no momento oportuno para converter a compra;
  • combine suas ações com landing pages que ajudem a direcionar rapidamente o usuário para a compra — em vez de levá-lo para a home do seu site;
  • analise as métricas que mais importam para o remarketing, como CPC (Custo por Clique) e o CPA (Custo por Aquisição), que ajudam a identificar o gasto de cada compra convertida;
  • atenção à insistência exagerada. Especula-se que, em média, pode-se criar até 10 visualizações por usuário para evitar aborrecimentos com anúncios vindos de todos os lados;
  • utilize a geolocalização como uma ferramenta eficaz de segmentação, ajudando a trabalhar a sua estratégia de maneira mais personalizada;
  • ofereça benefícios ou vantagens exclusivas para convencer o usuário a efetivar a compra — como um desconto especial de 5 ou 10% se ele comprar em até 24 horas.

O remarketing também pode ser usado para impactar diferentes perfis de consumidor. Isso se mostra evidente, por exemplo, para recuperar um cliente que não compra há tempos com você. Outra possibilidade é pesquisar hábitos de consumo do seu público-alvo.

Digamos que um comprador em potencial costume comprar algum produto específico em determinadas épocas do ano — como flores no Dia dos Namorados. Assim, o remarketing também pode ser usado para mostrar ao seu fiel consumidor que você está atento.

Além disso, a campanha pode até ser planejada para aumentar o ticket médio de um cliente. Basta associar o remarketing aos produtos relacionados à compra que o seu cliente realizou. Segmentação e personalização: as principais qualidades para fazer bom uso dessa ferramenta.

Quais são os benefícios palpáveis do remarketing?

Com o que vimos, até aqui, já dá para ter uma ideia sobre o que o remarketing pode fazer pela sua empresa, certo?

Acontece que, quando bem trabalhada, essa estratégia pode render inúmeros benefícios. No último tópico apresentamos diferentes abordagens para variados perfis de consumidor.

Mesmo assim, vale reforçar o quanto o remarketing (ou retargeting, como preferir) tem contribuído para resultados positivos em empresas de diferentes portes e segmentos de atuação. E, entre os principais benefícios, reunimos os seguintes:

Direcionamento preciso para a sua campanha

Embora já tenhamos comparado o remarketing com as populares campanhas de Ads, o nível de aprofundamento desse tipo de campanha é ainda mais evidente.

Isso tem feito com que o remarketing obtenha resultados melhores em taxa de conversão, quando comparado com as campanhas de Ads em geral.

A frequência de exibição é maior

Maior, mas com aquele cuidado já apontado sobre a insistência excessiva. Como os anúncios podem aparecer mais vezes para o usuário, a estratégia ajuda a reforçar a sua marca para o consumidor, fazendo com que ele dificilmente se esqueça do produto. E isso é crucial para dar a ele tempo de refletir sobre a compra que ainda não efetuou, por exemplo.

Agrega mais valor à sua marca

Com base no que dissemos acima, é de se compreender que o remarketing é uma importante ferramenta para gerar mais valor ao seu negócio.

Em primeiro lugar porque mostra a sua preocupação — e dedicação — em conhecer o perfil do seu público-alvo. E em oferecer as soluções certas para eles, no momento certo. Isso tudo ajuda a fortalecer a sua marca, na mente do consumidor, o que também potencializa as vantagens em usar o remarketing.

Gera mais conversões para o seu negócio

Além dos clientes que acessam o seu site e realizam suas compras, o remarketing fisga o consumidor que, por algum motivo, não efetivou a sua. Ou seja: é uma maneira diferente de interagir e impactar o seu público-alvo.

Maior alcance para as suas estratégias

Que empresa não gostaria que a sua ação impactasse o maior número possível de pessoas — até mesmo quem nunca havia ouvido falar em suas soluções? Pois o remarketing é uma maneira inteligente de usar os hábitos de consumo dos internautas para construir um mapa gigantesco de possibilidades para você.

Assim, sua atuação e base de clientes podem ser potencializadas com o simples posicionamento de um banner nas páginas que esse cliente em potencial acessa diariamente.

Acessibilidade para investir nesse tipo de ação

É de se comentar, também, que o marketing digital é um tipo de estratégia que tem democratizado o acesso a diversos tipos de empresas. E muito disso se deve ao investimento acessível às suas ações, ferramentas e campanhas.

O remarketing não é exceção. Ainda mais porque os resultados podem ser mensurados em tempo real. Tudo aquilo que não tem rendido o esperado pode ser ajustado e novas ações podem ser experimentadas.

A palavra de ordem, portanto, é estratégia. Com um bom planejamento cada centavo investido pode render mais, potencializando os resultados e gerando métricas de dar inveja à concorrência, como os já citados CPC e CPA.

Facilidade de uso

Embora os resultados possam aparecer mais rapidamente — e com mais eficácia —, quando planejado por empresas especializadas, é válido mencionar que o remarketing e as suas plataformas são intuitivas. Com o tempo, percebe-se a facilidade do seu uso.

Claro que não é fácil a ponto de criar uma campanha da noite para o dia, sem um conhecimento prévio. Para os já familiarizados com a variedade de soluções promovidas pelo marketing digital, o remarketing não é um terreno completamente desconhecido. O que ajuda em sua rápida utilização.

Como trabalhar o remarketing e o inbound marketing integrados?

Por fim, vamos falar sobre o remarketing como uma ação associada ao inbound marketing, expondo mais um diferencial dessa ferramenta.

Afinal de contas, é importante observar que o marketing digital, em si, é um conjunto de estratégias que podem ser conectadas, visando resultados ainda mais positivos. Neste caso, a sua empresa pode promover os conteúdos relevantes criados, em vez de anunciar produtos.

Com isso, você está interagindo mais com o seu público-alvo, incentivando-o a se tornar um assíduo visitante de suas páginas, como sites, blogs e redes sociais. Ao fisgar ou recuperar um cliente — ou cliente em potencial — para o seu conteúdo rico, você trabalha as etapas de sua jornada de compra a partir do momento em que ele entrar nela.

Perceba que esse costuma ser um dos desafios do inbound marketing, que é a retenção de pessoas interessadas em consumir os seus conteúdos. Com essa divulgação muito bem direcionada, por meio do remarketing, você ganha uma nova oportunidade de instigá-las.

Importante dizer, ainda, que esse uso combinado de estratégias ajuda a gerar mais leads e se torna uma alternativa para aumentar o número de clientes e efetuar mais vendas.

É por isso que o remarketing tem se consolidado como uma das mais impactantes estratégias de marketing digital: trata-se de uma ferramenta de alto grau de personalização e segmentação. Assim, suas estratégias ganham — e geram — mais valor ao seu público-alvo.

Quer aprofundar os seus conhecimentos em remarketing?

Ao longo deste artigo, nós trabalhamos os principais aspectos que envolvem o remarketing. Começamos pelo seu conceito, a relevância da sua utilização em estratégias de marketing digital — individuais ou associadas — e trouxemos algumas orientações para o seu uso.

Além disso, discutimos algumas dicas interessantes e práticas para você tirar as ideias da cabeça e colocá-las em ação. Sem falar, também, na variedade de estratégias que podem ser elaboradas e as maneiras de usar o remarketing para impactar diferentes perfis de usuários.

Por fim, trabalhamos os benefícios que o remarketing pode trazer para o seu negócio, que vai desde a economia no investimento ao seu alto poder de segmentação e também de conversão.

Tudo isso, portanto, para guiar a sua empresa a um novo patamar: algo capaz de gerar mais vantagem competitiva e destacar o seu negócio como um dos grandes referenciais em seu campo de atuação.

Esperamos que esta leitura tenha sido proveitosa e que as dicas aqui apresentadas possam se converter em resultados palpáveis para o desenvolvimento sustentável de sua empresa.

Agora, para ficar ainda mais por dentro dos diferenciais do remarketing e do marketing de dados, inscreva-se em nossa newsletter para receber, em primeira mão, todas as nossas dicas e novidades sobre esses assuntos!