Desde os primórdios até hoje em dia, nós, da Hariken, falamos sobre e-mail marketing e suas vantagens para alavancar o crescimento das corporações. Mas o que precisamos reiterar é que a segmentação de e-mails precisa estar muito bem afinada para que os resultados aconteçam.

O e-mail se tornou uma das ferramentas mais eficientes em engajamento no mundo do marketing digital. Ele apresenta boas taxas de conversão, custo modesto e coleta dados para a estratégia que são tão valiosos quanto petróleo.

No entanto, disparar o mesmo e-mail para toda sua base, sem divisão e frequência previamente estudadas, pode colocar suas métricas a perder e prejudicar a avaliação da marca perante clientes, leads e prospects.

Três parágrafos são muito pouco para descrever a importância de fazer uma segmentação de e-mails com qualidade e de como usufruir ao máximo esse ativo. Então, seguem mais algumas sugestões abaixo para ajudar na tarefa. Venha conosco!

A relevância do e-mail marketing na estratégia

Existe um burburinho rondando o mercado há algum tempo. Fala sobre a perda de relevância das listas e uma possível morte do e-mail marketing. Você já deve ter ouvido a respeito.

O uso do correio eletrônico nas ações de inbound tem um prazo de validade?

Pensemos de forma lógica: qual outro recurso permite uma entrega de conteúdo tão personalizada, íntima e de longo prazo ao público?

O e-mail, ao longo da história da internet, perdeu a função de interação entre amigos (preenchida com sucesso pelas redes sociais) e ganhou uma conotação mais prática e comercial na vida das pessoas. E está tudo bem.

O público o vê como canal de resolução de problemas e entrada de propaganda, a maioria dentro da sua gama de interesses. As empresas, por sua vez, o enxergam como uma oportunidade de gerar vendas e consolidar negócios.

Uma boa segmentação e envio planejado de materiais é o que vai destacar sua corporação daquelas que fazem disparos exagerados e vazios ao usuário, virando apenas um transtorno na caixa de entrada.

A marca pode se tornar aquele e-mail com uma solução tão esperada ou a praticidade de acompanhar as novidades daquele segmento que sua persona se identifica.

A estrutura da segmentação de e-mails

Se pudéssemos resumir o processo em poucas palavras, seria algo mais ou menos assim:

planeje, teste diferentes ações e acompanhe as métricas. Na sequência, repita todo o processo até alcançar o melhor resultado possível.

Sucinto demais? Fique tranquilo, trataremos detalhadamente do assunto a seguir.

Distribua o conteúdo adequadamente

Utilize abordagens diferentes, de acordo com o estágio de cada lead. Aproveite para eliminar bounces e endereços que não abrem suas mensagens para evitar penalizações com as ESPs e redução da capacidade de entrega nesses mecanismos.

Com essa limpeza inicial e criação de listas para cada momento da jornada do consumidor, produza e remeta conteúdos’ distintos para elas, como newsletters, promoções, um novo tutorial ou novidades do seu portfólio de produtos.

Utilize a estratégia warm-up/ramp-up

O warm-up consiste no disparo sistemático de e-mails, em dias e horários estudados previamente. Serve para aquecer o IP, higienizar a base de e-mails e criar uma reputação mais sólida com a audiência.

Após esquentar o processo, é hora de acelerar seus envios fazendo o ramp-up. Aumente as entregas, mas de forma cuidadosa, dando prioridade para destinatários mais ativos e que mostraram interesse recente em algum dos seus canais de comunicação.

Segmente por dados e comportamento

Sabemos que esses dois aspectos são o básico da segmentação, mas vale reforçá-los.

Enviar conteúdos com uma parametrização prévia aumentará sua relevância com o público, bem como as taxas de resposta e abertura de mensagens.

Com melhores métricas, as conversões e vendas crescem na mesma proporção, elevando o ROI do marketing em sua totalidade.

Identifique quais linhas de produtos têm melhor aceitação em cada gênero, hábitos de consumo e a marcas preferidas destes em cada região e remeta conteúdo personalizado para cada subpopulação criada.

No entanto, se você não tem ainda uma DMP para ajudá-lo nesse processo, o Google Analytics é uma ferramenta gratuita que permite delimitar o escopo de um segmento por tipo de usuário, região e média de conversões.

Identifique informações importantes para o seu negócio

“Data is the new oil”. A frase, comumente atribuída ao matemático britânico Clive Humby, ilustra bem a importância que o big data traz para a alavancagem de negócios.

A habilidade de coletar e analisar dados é um diferencial competitivo que permite a manutenção de todo o negócio e o suporte consciente das tomadas de decisão no marketing.

A correta interpretação dos dados da segmentação da base de e-mail pode trazer insights para a criação de novos produtos, inserção em novos mercados e maior retenção e fidelização dos clientes já existentes.

Tome decisões com bases nas métricas

A mineração dos dados auxilia no cálculo correto do ROI, obtido com a segmentação do e-mail marketing. O indicador é obtido a partir de diversas informações coletadas, como:

  • taxa de abertura;

  • CTR e CTOR;

  • leads gerados;

  • engajamento.

É importante combinar essas e outras informações de suas listas para uma análise preditiva. Os novos envios precisam aprimorar a experiência obtida com a segmentação e calcular os próximos estágios de compra e interesse do público.

O processo facilita também novas ações de Business Intelligence, com redução de custos e erros e um conhecimento mais detalhado dos hábitos do seu cliente.

Crie campanhas com base nas segmentações

Utilizar as métricas do e-mail marketing na criação de campanhas pagas poupará tempo e as capacidades paranormais de seus analistas. Afinal, o público já foi delimitado, os testes realizados e as métricas demonstram quais ações resultam em conversão.

Com tantas informações disponíveis, os riscos e perdas com publicidade ficam menores e os resultados melhoram o relacionamento com sua brand persona.

Com base nos dados da audiência, mais conectada à marca, aumente o alcance das campanhas buscando por públicos semelhantes e reduza ainda mais o custo o CAC da companhia.

As vantagens no uso de ferramentas

Sem automação fica quase impossível realizar parametrização e separação por interesses no e-mail marketing. A combinação correta das ferramentas e softwares regulam o disparo de e-mails, monitoram os envios e dispõem métricas para análise, de forma precisa.

Com isso, é possível estabelecer um cronograma de envios, atender as diferentes etapas do fluxo de nutrição e analisar mais rapidamente os resultados da estratégia.

O e-mail marketing se tornou fundamental para estruturar as ações do marketing, gerando dados de extrema qualidade para a tomada de decisão, contribuindo para o branding e alta competitividade da empresa.

Exige baixo investimento e retorna excelentes taxas de conversão, engajamento e retenção de clientes.

Como vimos ao longo deste artigo, a segmentação de e-mails, quando conectada a boas ferramentas e a uma eficiente gestão de dados, permite ações de marketing mais eficientes e alcance de metas sustentável, com base em resultados previamente testados.

Agora, que tal aproveitar melhor seu big data e potencializar resultados para o negócio? Entre em contato com nossos consultores e conheça as soluções que preparamos para sua empresa.

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Adonis Batista

CEO e Nômade

Previous Centralização de dados: os 5 benefícios de unificar informações!
This is the most recent story.
Close

NEXT STORY

Close

Segmentação de Clientes: O que você precisa saber

09/06/2017
Close